sábado, 25 de julho de 2009

Resumo da situação no Monte Mulanje.

Gabriel se perdeu sexta-feira, dia 17, no Monte Mulanje, um pico de 3000m. Segundo a versão do guia, a cerca de 2000m de altura os dois se separaram, e Gabriel continuou sozinho. A trilha restante não era especialmente difícil, apesar de já terem ocorrido casos de pessoas que se perderam. Após Gabriel ter se separado do guia, o clima piorou consideravelmente de maneira repentina, e Gabriel não foi mais visto.
No domingo, dia 19 de julho, a polícia contatou a ONG responsável pela conservação do monte. O Diretor da ONG, Carl Bruessow, iniciou uma equipe de busca de 20 pessoas por terra.
Na segunda-feira à tarde, a embaixada francesa conseguiu entrar em contato com a família do Gabriel no Rio de Janeiro. Na terça, a notícia se espalhou entre os amigos e conseguimos entrar em contato com o Itamaraty, que está participando ativamente nos esforços de busca.
Na quarta-feira, a equipe de buscas por terra aumentou para 55 pessoas, e o clima melhorou. Nos dias anteriores, estava chovendo e ventando bastante, o que dificultava a operação da equipe de busca por terra e a utilização de um helicóptero para checar os pontos mais inacessíveis. Até então, não só a utilização de um helicóptero teria sido pouco efetiva como não havíamos conseguido um helicóptero que aguentasse os ventos da região.
Na quinta-feira, a ONG que cuida do monte e a embaixada do Brasil em Moçambique acionaram um helicóptero adequado, que passou a integrar a equipe de busca.
Na sexta-feira, os familiares e amigos ofereceram uma recompensa de US$7500 para os Malauianos que encontrassem Gabriel Buchmann com vida. Nos foi repassado que não fazia sentido aumentar a recompensa, pois os Malauianos são paupérrimos, e mais dinheiro não faria diferença.
Agora, no fim de semana, estamos enfrentando uma fase crítica, pois a equipe de busca por terra se reduziu para 20 pessoas. Os Malauianos estão cansados, e precisam arrumar substitutos.

2 comentários:

  1. Desconheço os critérios de incentivo às buscas, mas como mãe, sou da opinião que deveria haver recompensa também para qualquer pista ou sinal do rapaz. Ficar todo esse tempo procurando, naquelas condições adversas, sem nenhuma relação afetiva já é mais do que louvável. Quem sabe outro tipo de recompensa seja mais efetivo na motivação deles. De qualquer maneira, estou torcendo para que tudodê certo. Abs de Zélia, RJ

    ResponderExcluir
  2. Fabiana Schleumer6 de agosto de 2009 11:13

    A Família e amigos de Gabriel Buchmann

    Tenham certeza que todo o Brasil sente muito. Porém, cada um de nós vai "embora " na hora certa, na hora escolhida pelo senhor da vida. Oremos para que Gabriel "viva" em paz, no plano espiritual e no coração de cada um de nós.
    Votos de paz e conforto espiritual.
    Fabiana Schleumer

    ResponderExcluir